Um dia na vida de um RP: um relato (quase) real e honesto

Como é um dia típico de um Relações Públicas? Não há um "dia típico" para um RP. Principalmente para aqueles que trabalham numa...


Como é um dia típico de um Relações Públicas?

Não há um "dia típico" para um RP. Principalmente para aqueles que trabalham numa agência.

Enquanto responsáveis de Comunicação, a nossa prioridade é garantir que todos os stakeholders têm tudo o que precisam para fazer o seu trabalho – isso significa parar tudo o que estamos a fazer para responder a um pedido de um jornalista ou deixar todos os projectos de lado para ajudar um cliente.

Então? O que é que acontece normalmente?
Andar a mil e passar por uma montanha russa de emoções diariamente?
Exacto!

Apesar de todos os dias serem diferentes nesta profissão, decidi partilhar, em primeira-pessoa, o relato de um dos meus dias enquanto responsável de comunicação.

Será que é assim tão diferente da vossa realidade? Ou há pontos comuns?


Um dia na vida de um Relações Públicas

8:00 - O despertador toca. Altura de sair da cama? Não… primeiro é preciso ver todas as notificações, fazer um check aos emails e ver rapidamente todas as redes sociais.

8:20 - Banho. Para uns é mais um momento corriqueiro dos seus dias. Para um RP? Sinónimo de uma introspecção profunda sobre todas as decisões estratégicas tomadas nos últimos tempos.
Mesmo antes de desligar o chuveiro, surge aquela ideia perfeita para um pitch ou uma nova parceria.



9:00 - Chego ao escritório. Vou à máquina do café. Ligo o computador. Abro o Outlook e vejo que tenho 334 novos emails - respiro fundo, respondo aos urgentes e guardo os outros na pasta dos emails a tratar.

9:20 - Leio as notícias do dia. Procuro clippings, menções aos nossos clientes, referências à concorrência e tendências da indústria.



9:22 - Das duas uma: ou fico contente com um clipping incrível ou deprimida porque a concorrência teve um grande destaque.

9:30 - Vejo um artigo interessante, mas tenho de guardar para ler mais tarde. É altura de enfrentar o dia.

9:31 - Paro para re-avaliar a lista de tarefas. Dou prioridade às questões mais urgentes e faço uma lista do que tem de ser tratado HOJE.

10:00 - Momento agora de preparar o envio do press release do dia.
Vejo os comentários dos colegas e os reparos do cliente - morro um bocadinho por dentro -, e faço as devidas alterações.

10:30 - Preparo todos os materiais para o envio do comunicado... e reparo que o vídeo que deveria estar online ainda não está ou que a fotografia que temos não tem qualidade suficiente. Peço aos colegas do outro departamento para tratar com URGÊNCIA da questão, mas sei que a probabilidade de isso acontecer é zero.

10:31 - Respiro fundo.



10:50 - A situação está milagrosamente resolvida. Está tudo pronto para o envio.

10:55 - Email pronto.

10:56 - Releio, à procura de erros.

10:57 - Envio para mim própria. Vejo como os outros o irão receber.

10:58 - Releio novamente.

10:59 - Descubro um grande erro! Começo a suar e a dar graças aos deuses e santinhos dos comunicados de imprensa por ter reparado antes de enviar isto aos meus contactos.



11:03 - Releio outra vez.

11:07 - E outra vez.

11:09 - Agora sim. Tenho a “certeza” que está tudo perfeito. Tomo finalmente a decisão que está pronto a enviar.

11:10 - Quase a carregar no Enter para enviar… mas a dar aquela uma última revisão, como quem não quer a coisa.

11:15 - Carrego no Enviar.

11:15:02 - Arrependo-me subitamente (!) mas sei que já não há nada a fazer.



11:30 - Vejo o primeiro clipping e de repente sinto que posso retornar à normalidade.

11:35 - PRECISO de outro café.

11:40 - Altura de voltar à proposta de comunicação de um novo cliente.

12:10 - Entretanto recebo uma chamada de um jornalista por causa do envio de há pouco. Pergunta, resposta. Pergunta, Resposta. Done.

12:30 - Apresentação pronta. Está tudo pronto para a reunião de mais logo.



12:35 - Dou um salto à mesa dos designers só para confirmar se aquela brochura para outro cliente está ok.

13:15 - Almoço. A correr.

14:00 - Altura de reunir com o cliente. Apresentação da proposta e discussão sobre a execução. Por esta altura o cliente faz uma ou duas observações que me fazem questionar porque escolhi esta profissão, mas respiro fundo e continuo.



16:00 - Outro café.

16:15 - Altura para atualizar as redes sociais dos clientes e programar as próximas publicações.

17:00 - Volto aos e-mails.

17:55 - Procuro clippings do comunicado de imprensa enviado de manhã.

18:40 - Final da tarde: começo a arrumar as minhas coisas para ir embora...



18:41 - ... e é precisamente nesta altura que aquele colega precisa de ajuda para algo SUPER urgente.



19:40 - Crise resolvida. Agora sim. "Até amanhã".

20:00 - Ginásio? Mmm... não vai dar.



21:00 - Situação para o jantar: a sonhar com uma comida boa e um copo de vinho... mas vai ser uma torrada mesmo.

00:00 - Vou para a cama. Fecho os olhos.

00:17 - Subitamente - não sei como, nem porquê - tenho uma ideia para uma campanha.



00:25 - Agora a sério, cérebro.
Tenho de dormir.
Obrigada.
Até amanhã.
Beijinhos

Mais artigos sobre Relações Públicas? Não percam:
> 12 problemas que Relações Públicas vão entender;
> Momentos que só um profissional de Relações Públicas verdadeiramente percebe;
> 8 razões para adorar uma carreira como RP.

Artigos relacionados

2 comentários

  1. É mais ou menos isso...agora junta filhos à equação! 😉 Bjs, CH

    ResponderEliminar
  2. Ahah verdade! Obrigada pelo comentário, Cátia.
    Beijinho,
    Sara

    ResponderEliminar